Vídeo da convenção do PDT mostra que Tabata apoiou decisão contra reforma da Previdência

0
76

Por Ricardo Kotscho – Postada no palco ao lado do presidente do PDT, sorridente e animada, a deputada Tabata Amaral aplaudiu Carlos Lupi quando foi colocada em votação a proposta pelo fechamento de questão contra a reforma da Previdência.

A proposta foi aprovada por unanimidade pelos 550 membros que participaram da convenção do partido, incluindo a jovem deputada, que depois mudou de ideia e votou a favor da reforma, junto com outros sete parlamentares do partido.

As imagens estão no vídeo publicado no meu Facebook ontem à noite pelo internauta Cleiver Cardoso, em resposta ao post “Caso Tabata: Ciro é tão fiel aos partidos que já passou por 7 até chegar ao PDT”. Confira abaixo:

Na semana passada, saí em defesa de Tabata, que estava sendo linchada nas redes sociais por pertencer a um partido de oposição e votar com o governo _ segundo ela, por uma “questão de convicção”.

Sou obrigado agora a dar razão a Ciro Gomes nas críticas que fez a Tabata na segunda-feira:

“Até a antevéspera, para não dizer até a véspera, ela nos disse que votaria contra essa proposta. O partido dela não é esse. Vai ser um inferno a vida dela. Porque cada um desses embates tem a ver com o tipo de visão de mundo que você tem”.

Repórter pode brigar com todo mundo, menos com os fatos.

E, de fato, ficou claro agora, depois de asssitir o vídeo, que Tabata Amaral não foi honesta com o seu partido. O PDT tem razão de ser se sentido traído.

Se tinha a convicção de que a reforma era boa para o país, deveria ter dito isso na convenção do PDT, mostrando quais eram seus argumentos para discordar da posição do partido.

Cabe então perguntar por que Tabata escolheu o PDT para se candidatar a deputada, se a visão de mundo dela, como disse Ciro, não combinava com o programa do partido.

Na entrevista que fiz com ela, em junho do ano passado, publicada na Folha, Tabata, uma defensora da educação pública de qualidade, me disse que ficou impressionada com o trabalho feito por Ciro nesta área, quando foi governador do Ceará.

Foi por isso que Ciro fez questão de ir à casa dela, na periferia de São Paulo, para lançar oficialmente a sua candidatura.

Formada em ciências políticas e astrofísica na Universidade de Harvard, Tabata surgiu como uma flor no brejo da política brasileira e teve expressiva votação na onda de renovação nas eleições de 2018.

As primeiras reações da deputada às críticas que recebeu, no entanto, não foram boas. Falou que, se não se reelegesse, pela posição que tomou na votação da reforma, não teria problema em arranjar emprego, o que é verdade, mas não pega bem para quem decidiu entrar na política partidária.

De outro lado, é preciso lembrar que o PDT assinou um termo de compromisso com o movimento Acredito, financiado por grandes empresários como Jorge Paulo Lehmann, de assegurar a independência dos seus quadros caso fossem eleitos.

Tabata corre agora o risco de ser expulsa do partido, posição defendida por Ciro Gomes, mas manterá o seu mandato.

Partidos de direita logo se assanharam para lhe abrir as portas _ entre eles, o PSDB, de João Doria, e o PSL, de Alexandre Frota _ o que já era de se esperar.

Com apenas 24 anos de idade e seis meses de vida parlamentar, Tabata agora está numa encruzilhada, e o PDT também.

Se tiverem juízo, ela e os dirigentes do PDT deveriam conversar, antes de tomar qualquer decisão apressada, que pode ser prejudicial tanto para a carreira dela como para a imagem do partido.

Da minha parte, peço desculpas a Ciro Gomes por te-lo criticado, sem saber o que aconteceu na convenção do PDT, onde Tabata assumiu uma posição e depois mudou de lado.

Agradeço ao Cleiver Cardoso por ter me mandado o vídeo para mostrar o outro lado da moeda.

É sempre bom ouvir os dois lados antes de emitir uma opinião. Vivendo e aprendendo.

Vida que segue.