Sindicalista diz que a greve da Global foi defagrada por um grupo aliado do prefeito

0
493

Mais uma vez os moradores da Zona Leste de Manaus ficaram sem ônibus. O motivo? Os trabalhadores da empresa de ônibus Global, mais uma vez, se acharam no direito de  suspender suas atividades devido a questões supostamente trabalhistas desde  a madrugada desta sexta-feira, 07.

O movimento deixou ao menos 300 mil pessoas sem transporte coletivo. Muitos precisaram se valer de outros transporte, como o moto táxi, para chegar ao emprego.

De acordo com informações, adiamento da reunião que trataria do dissídio 2014/2015 da categoria teria sido o estopim do movimento.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) afirma que o movimento é ilegal.

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus, Josildo Oliveira, garante que a greve foi deflagrada por um grupo dissidente da categoria, aliado do prefeito. “ Quem está liderando a paralisação é a tal comissão criada pelo prefeito. Se fossemos nós, ele estaria chamando a gente de baderneiros”, disparou o sindicalista.

“Eles acham que vão se dar bem. Não vamos apoiar esse tipo de coisa”, garantiu. “Era pra ter sido julgado em maio, mas foi remarcado para hoje (sexta-feira 7). Eles alegaram que dissídio não estava na pauta. Não há motivo algum para terem feito a paralisação”, afirma Josildo, informando que o dissídio coletivo está sendo julgado pelo Tribunal nesta sexta-feira.