Pronto-Socorro 28 de Agosto tem a maior feira de guloseimas 24 Horas de Manaus

0
59

No Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, unidade de referência no atendimento de urgência e emergência para toda a região norte, pode faltar medicamentos e insumos de primeira linha – Capotes descartáveis, máscaras descartáveis, fita de dextro para aferir a glicemias, Meropenem, Vancomicina, Tienam, Teicoplanina etc., etc., etc. e tal.

Todos sabem disso. E não adianta dizerem daqui a pouco, seja por meio de confusas e contraditórias notas oficiais, ou seja lá do que for, o contrário.

Senão vejamos:

Desde os tempos de apresentador do programa de televisão, o sensacionalista “Alô Amazonas”, o tema preferido do mancebo  governador Wilson Lima, era escrachar – esculhambar fica melhor e bem ao paladar do dito cujo televisivo – as deficiências do 28 de Agosto.

Isso é fato, não se discute. Ou não?

No Pronto-Socorro 28 de Agosto, entretanto, o que não falta, convenhamos, faça chuva, faça sol, é o famoso espetinho de carne assada na brasa, com o toque especial do chefe de cozinha de dar água na boca, bem temperado, com pimenta-do-reino, cominho, urucu, sal grosso e gordura animal e servido com aquele gostinho de fumaça.

Ok! Ok! Ok! Todos sabem, claro, que saco vazio não fica em pé.

Então vamos comer com fartura e qualidade no feirão aberto do PS 28 de agosto onde pode ser encontrado, além do churrasquinho, diversificada variedade de guloseimas – pão com manteiga e café pingado, tapioquinha, x de todo tipo (burgue, caboquinho, egg, enfim…) -, croquete, empanados, cachorro-quente, ovo frito, ovo cozinho,  caruru, vatapá  e muitas outras, sem esquecer  o jaraqui nosso de cada dia, frito com pimenta murupi.

De acordo com os  observadores mais atentos do feirão do 28 de Agosto, o judicioso mancebo não dispensa um espetinho de carne defumada, digamos assim, com tucupi e um farto copo descartável com farinha do Pará.

Dizem esses mesmos observadores,  que Wilson Lima come até se empanturrar na companhia de simpáticos pombinhos famintos e piolhentos a mendigar com tristonhos arrulhos as sobras do banquete.

Saciado, o mancebo esquece até que as prateleiras do PS estão vazias e que se dane insumos, medicamentos e tudo o mais.

Esquece, também,  da fumaça que ocupa a atmosfera daquela casa de saúde e da proliferação de intrusos e indesejáveis isentinhos que, depois de se fartarem com as sobras, aproveitam para uma visitinha surpresa, aqui e acolá, nos corredores e enfermarias do conceituado PS.

Ainda segundo os atentos observadores,  alguns representantes do Ministério Público, também, são notórios apreciadores das guloseimas disponíveis no feirão.

Fartam-se à vontade e como o governador  não dão a mínima para o fumacê odorizado, produzido pela combustão, combinada com densa camada de cinza que, suavemente, toma conta da praça de alimentação.

Ah! Além do mancebo e dos judiciosos membros do Ministério Público  são frequentadores assíduos do feirão do 28 de Agosto  vários agentes da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

No feirão, eles devoram um pouco de tudo e não dispensam elogios à culinária local. E  como ninguém é de ferro, é claro que os dedicados fiscais da Anvisa,  com seus respectivos chachas expostos ao peito, não dispensam aquele suquinho gelado, seja de graviola ou de maracujá, cupuaçu, goiaba ou taperá – todos cuidadosamente conservados em higiênicas garradas pets.