Por ordem do Exército, PRF interrompe reunião de professores que discutiam estratégia de protesto a Bolsonaro

0
252

Três Policiais Rodoviários Federais armados surpreenderam um grupo de professores nesta quinta-feira (25), um grupo de professores reunidos para discutir estratégia de protesto à vista do presidente Jair Bolsonaro (PSL), a Manaus, programada para esta quinta-feira (25).

No local, os policiais rodoviários, que deveriam estar nas rodovias locais no cumprimento de suas reais obrigações, abordaram vários professores, indagando-os sobre os organizadores da provável manifestação.

Ao indagaar sobre a motivação legal da operação, os policiais, armados com metralhadora, nada responderam.

Apenas disseram, segundo o professor história Yann Ivannovick, que também preside a Frente Brasil Popular no Amazonas, estarem cumprindo ordem do Exército Brasileiro.

De acordo com o professor, a reunião estava marcada para as 17h, na sede do Sindicato dos Trabalhadores da Educação no Amazonas (Sinteam), no centro de Manause que, às 16h30, foram surpreendidos com a chegada dos policiais.

Os professores lamentaram o fato e que o episódio e classificaram o fato como “um retorno dos momentos que uma manifestação pacífica tem que estar acuada pelas Forças Armadas”.

Segundo informações do UOL Notícias, o Comando Militar da Amazônia desconhece a realização da suposta reunião e que não reconhece qualquer ordem oriunda de suas Unidades que culminou na visita dos policiais rodoviários ao sindicato.

Ainda segundo o UOL, a assessoria de comunicação da Polícia Rodoviária Federal foi procurada para se manifestar sobre o assunto e que foi atendida por policial de plantão que informou que não estava autorizado a responder aos questionamento.