Policiais interditam Torquato Tapajós em protesto ao governo que vetou promoção dos praças

0
151

Centenas de policiais militares, concentrados no final da tarde desta segunda-feira, 12, na Avenida Torquato Tapajós, acabaram de dar um aperitivo do movimento de paralisação programa para quinta-feira, 15, de todas as atividades policiais, em protesto à decisão do governador Amazonino Mendes e do comandante da corporação policial militar, coronel PM Brandão, de engavetar a promoção dos praças, garantida pela lei 4.044.
Por volta das 18 horas – horário de pico -, a Torquato Tapajós foi fechada, provocando transtornos e engarrafamento no trânsito.

Apesar tumulto, o movimento foi pacífico, não houve baderna, tampouco despedração.

Ao contrário disto, os polícias entoaram e fizeram ecoar na Torquato Tapajós, a todo pulmão, o hino da Polícia Militar:

Mílicias do Amazonas, teus soldados///São leais, destemidos, são estóicos///Em canudos com sangue batizados///Na luta com jagunços foram heroicos///No Acre com batalhas e vitórias///Deram ao Brasil maiores extensões///Voltara com os troféus cheios de glórias///Em marcha triunfal aos seus rincões (veja vídeo).

Reunida em Assembleia extraordinária na tarde de hoje, a categoria manteve a decisão de parar na próxima quinta-feira.

Saiba mais

Polciais pedem à população que redobre a segurança nos próximos dias
A Associações da Polícia e Bombeiros do estado do Amazonas, em nota manifesto divulgada nas redes sociais e afirma que no dia 15, quinta-feira, toda categoria vai paralisar as suas atividades em todo o estado e faz o seguinte apelo:

“Pedimos à população redobre os cuidados quanto à sua segurança nos próximos dias”.

Apesar do alerta, a associação adverte que a categoria jamais abandonará a população e que os serviços básicos de manutenção da segurança pública serão mantidos.

A nota critica o governo e faz um apelo veemente à população para que apoie o movimento policial certo de que, juntos, e com união, policiais e a população vencerão a batalha.

“Nunca desejamos essa paralisação, sempre buscamos o diálogo junto ao Governo sobre nossas reivindicações, entretanto restou-se frustrada pela prepotência e Soberba do governo”.

Governo veta promoção de policiais e bombeiros e pode enfrentar paralisação geral da categoria em março

Preteridos em 2016 e 2017 à promoção, prevista na a Lei Estadual 4.044/2014, de autoria da deputada Alessandra Campelo, centenas de policiais e bombeiros militares, reunidos em assembleia geral, deliberaram neste sábado, 24, pela deflagração da “Operação Defesa”, que prevê, de imediato, “produtividade zero” para toda corporação policial militar.

Pelo que ficou deliberado, a primeira fase da operação, consiste no não cumprimento de qualquer tipo de busca e apreensão e que as prisões somente ocorrerão em flagrante.

Um encontro articulado pelo comando do movimento para quinta-feira, dia 1º de março, na Assembleia Legislativa, entretanto, deverá colocar à mesa de negociação policiais e deputados, mas, dificilmente, o governo deverá voltar atrás.

Um parecer consultivo da Procuradoria Geral do Estado (PGE) deverá ser usado pelos deputados – a maioria governista – que deverão concentrar todo potencial de fogo armazenado contra a lei 4.044/2014.

Baseado no parecer da PGE, eles deverão dizer que a lei é inócua e não poderá ser cumprida.

No entendimento da PGE, a Assembleia Legislativa não tem competência para legislar sobre promoção.

Nesse caso ficou deliberado que no dia dia 15 de março um quartel operacional da Polícia Militar será interditado.

A partir do dia 15, outras medidas mais extremas, como, por exemplo, a falta coletiva ao serviço pelo prazo de três dias, deverão endurecer o movimento.

A expectativa é de que todo efetivo da Polícia Militar pare por três dias.

Uma grande mobilização com o envolvimento de todas as mulheres, filhos e filhas de policiais, também, está programada para o fortalecimeneto do movimento.

A ideia é de que todos os parentes dos policiais ocupem pontos estratégicos nas entradas das unidades a fim de impedirem o acesso de qualquer PM nos quartéis.

O Comando da Polícia Militar, segundo a deputada Alessandra Campelo, a partir do parecer consultivo da PGE, vetou as promoções de boa parte dos policiais militares que teriam direito nas atas de 2016.

Ainda de acordo com a parlamentar, todas as promoções previstas para 2017, também, foram e excluídas pelo comando da PMAM. “Simplesmente a PGE decidiu que a Assembleia não Legisla mais”, disparou Alessandra.