Murad Aziz de recebeu Mercedes-Benz SLK 250 em troca de favores prestados para Mouhamad Moustafa, diz MPF

0
93

Um Mercedes-Benz SLK 250 ao custo de R$ 197 mil, foi uma das formas utilizadas pelo médico Mouhamad Moustafa, investigado na Operação Maus Caminhos, para pagar o empresário Murad Aziz pela influência em atos praticados por agentes públicos e políticos do Amazonas. A informação é do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) e está em uma das 21 denúncias apresentadas pelo órgão à Justiça Federal, no início da semana.

O carro de luxo, que segundo sites especializados é um conversível, tem bancos revestidos de couro especial, que absorve menos calor, bancos elétricos com memória para três posições e até sistema que detecta sinais de sonolência do motorista, foi pago por Moustafa a Murad em 27 de setembro de 2015, diz o MPF/AM.

Conforme o órgão, o médico, apontado como chefe da organização criminosa que desviou milhões da Saúde através do Instituto Novos Caminhos (INC), teve auxílio direto de Priscila Marcolino.

Em 23 de junho de 2016, Murad Aziz, que é irmão do senador e ex-governador Omar Aziz, foi beneficiado, mais uma vez por Mouhamad, com as despesas pagas de R$ 1.120,78, referentes ao licenciamento do Mercedes-Benz SLK 250.

“A pretexto de influir em atos praticados por diversos agentes públicos e políticos do Estado do Amazonas, notadamente em benefício da ORCRIM (organização criminosa)”, relata a denúncia.

Os 21 denunciados são acusados pelo MPF/AM de envolvimento em uma série de crimes revelados pela Operação Cashback, quarta fase da Operação Maus Caminhos. Esta fase da ação investigou desvios milionários de recursos da Saúde praticados por políticos, gestores públicos e empresários do Amazonas.

Em uma das ações, o MPF sustenta que Murad e outros denunciados, de forma estruturada e com divisão de tarefas, obtiveram direta e indiretamente vantagens econômicas, mediante a prática, principalmente, de crimes de peculato e tráfico de influência.

Segundo o MPF, entre 2010 e 2014, período em que Omar era governador do Amazonas, Murad Aziz “passou a contar com o prestígio político do irmão para exercer influência indevida na Administração Pública estadual, recebendo vantagens de empresários a pretexto de influir em atos cuja atribuição era de agentes públicos estaduais de alto escalão”. Quebras de sigilo telefônico, bancário e fiscal mostraram que, de 2012 até setembro de 2016, Mouhamad passou a entregar R$ 40 mil mensais a Murad Aziz, sempre após o pagamento de contratos de suas empresas pelo Estado, repartindo o lucro com o “primo”, como se chamavam mutuamente nas dezenas de conversas interceptadas, diz o MP Federal.

Murad Aziz, que foi preso na operação, foi denunciado por integrar organização criminosa e obter série de vantagens diretas e indiretas, em crimes de peculato a tráfico de influência, segundo informa o Ministério Público Federal.

Fonte/Portal do Marcos Santos