Major Olímpio critica ‘aliados de ocasião’ e questiona relação com Centrão

0
40

PODER 360 – O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), criticou os colegas do legislativo que se alinharam a Jair Bolsonaro durante as eleições de 2018, mas que não estão apoiando as pautas do governo no Congresso.

“O que nós estamos pedindo para a população é para acompanhar como vota e como se posiciona cada 1 dos parlamentares –deputados e senadores– e eu já até manifestei a minha indignação. Eu respeito a oposição, ela é legítima, é democrática. […] Bolsonaro tomou uma facada na barriga que quase o matou e toma uma punhalada por dia de pseudo aliados ou aliados de ocasião e aí me deixa indignado mesmo”, disse ao deixar o Ministério da Economia nesta 3ª feira (21.mai.2019).

Ele se referia à convocação de manifestações no próximo domingo (26.mai.2019) em apoio ao presidente. O senador disse que haverá uma reunião do partido às 15h para decidir se haverá “envolvimento do PSL ou não nessa mobilização”, mas que estará nas ruas como cidadão e filiado ao partido.

O senador citou congressistas paulistas, de partidos como PR, DEM, MDB e PP. Questionado se referia-se à atuação do Centrão, disse que preferia não chamar de Centrão “jocosamente” e que não fazia críticas a partidos e sim a “pessoas de partidos”.

Ao ser perguntado se as manifestações de domingo não poderão prejudicar ainda mais as relações entre governo e Congresso, questionou: “que relação boa nós temos”?

“Me doeu encabeçar a votação contra, arrebentar e tirar o Coaf ali. E os parlamentares do Democratas fazendo isso… E o ministro-chefe da coordenação política é do Democratas. Precisava pedir, pelo amor de Deus, aos 3 ministros lá, pelo menos pro Democratas… dá uma ajudazinha pro país”, disse em referência ao ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil). Ele negou, porém, estar “enquadrando partido”.

Outra crítica feita foi ao deputado Marcelo Ramos (PR-AM), que preside a comissão especial da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) da reforma da Previdência. Na 6ª feira (17.mai.2019), o deputado falou em texto substitutivo, suscitando dúvidas sobre a continuidade da tramitação da proposta enviada pelo governo“A gente viu que era só fumaça para ganhar 2 minutos de mídia”, declarou Olímpio.