Líder de facção criminosa, “Mano Kaio” é condenador a 18 anos de prisão; ele está foragido

0
134

Kaio Wellington Cardoso dos Santos, conhecido como “Mano Kaio”, foragido do Sistema Penitenciário do Amazonas,  além de Erivan Freitas de Oliveira, o “Piu Piu”, e Danilson Cardoso Neves Melo, foram condenados nesta terça-feira (27),  pela morte do feirante Rodrigo Brasil Castro, em março de 2013, no bairro Betânia, na Zona Sul de Manaus. Os dois primeiros receberam pena de 18 anos de prisão, em regime fechado.

Danilson foi condenado a nove anos de reclusão em regime semiaberto, considerando o tempo em que já estava preso. Erivan e Danilson estavam presentes na sessão de julgamento, realizada no Fórum Ministro Henoch Reis, no bairro de São Francisco.

Um quarto denunciado, Leonardo Almeida de Souza, morreu durante a instrução do processo e teve extinta a punibilidade.

Mano Kaio fugiu do Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2) no dia 12 de maio. Ele responde a 13 processos na Justiça por crimes como homicídio, tráfico de drogas, associação criminosa, roubo e roubo majorado. Nos meses de junho e julho, uma série de execuções mostrou mais capítulos sangrentos da guerra entre as facções Comando Vermelho (CV) e Família do Norte (FDN). Do lado do CV, Mano Kaio ditava as ordens.

A sessão de Júri Popular foi presidida pelo juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Celso Souza de Paula. O promotor de Justiça Igor Starling representou o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE). Os réus Kaio Wellington Cardoso dos Santos e Erivan Freitas de Oliveira, foram representados pelo defensor público do Estado Antônio Ederval. Já Danilson Cardoso Neves Melo teve em sua defesa o advogado Cândido Honório Filho.

Ao final da sessão de julgamento, a defesa de Kaio e Erivan informou que pretende recorrer da sentença aplicada aos dois réus. Da mesma forma, o representante do Ministério Público registrou que recorrerá da retirada das qualificadoras que permitiram a aplicação da pena menor ao acusado Danilson.