Jornalista Leal da Cunha morre aos 86 anos de parada cardíaca

0
143

O jornalista Leal da Cunha, 86 anos, sofreu uma parada cardíaca e morreu na manhã desta sábado, em sua casa. A confirmação da morte do jornalista e radialista que por vários anos comentou e escreveu sobre esportes nas rádios e jornais de Manaus, foi o filho, Hugo Leal da Cunha.

Segundo Hugo, o pai passou mal e sofreu uma parada cardíaca fulminante e veio a óbito. O velório esta ocorrendo agora a tarde na funerária Canaã.
Leal da Cunha foi homenageado este ano, na tradicional Festa dos Amigos, promovida a 15 anos pelos jornalistas. A festa foi na casa do filho, Hugo, no Parque Shangrilá, zona Centro Sul.
Os jornalistas Robervaldo Rocha, Láercio Souza, Robson Carvalho, Antônio Lopes, o publicitário Luiz Carlos que promovem todo os anos a festa, resolveram fazer a homenagem ao antigo jornalista pela sua importância no jornalismo esportivo.
A HOMENAGEM
Aos 86 anos, o comentarista e jornalista mais antigo das rádios e jornais do Amazonas, Manoel Leal da Cunha, ou simplesmente Leal da Cunha, foi o personagem homenageado este ano (2016) por amigos, colegas de trabalho e profissão, na 17º Festa dos Amigos.
Leal da cunha fez história nas rádios e jornais do amazonas, com os seus comentários eticamente corretos e precisos. Torcedor fanático do Nacional, é uma figura respeitada, não só no meio jornalístico, mas também por parentes e amigos que o têm como uma pessoa de caráter ilibado.
A homenagem foi idealizada por um de seus filhos, Hugo Passos Leal, um vez que o histórico narrador esportivo da Rádio Difusora, junto com o outros grandes profissionais da área, como Nicolau Libório, Waldir Corrêa, Arnaldo Santos e Flávio Seabra
Leal da Cunha foi comunicado da homenagem da festa que será realizada e ficou surpreso e contente por terem lembrado do seu nome.
O radialista jornalista trabalhou no Jornal A Crítica, onde escrevia crônicas diárias sobre o mundo dos esportes. Seus textos eram imperdíveis pelos amantes do esporte amazonense, porque tinha os traços felinos e críticos sobre o tema.
Amigos dos velhos tempos como Flávio Sebara, Flávio Assen, Luiz Carlos, Sebastião Assante, Robervaldo Rocha, Antônio Lopes, Laércio Souza, Osmir Medeiros, Jerssey Nazareno, Cláudio Barbosa e os mais novos, como Robson Carvalho, lamentaram a passagem de Leal. Fonte/Flagrante