Gestante e bebê morrem no parto e família denuncia negligência médica

0
87

Ila Arantes Fernandes, 35 anos, oitavo mês de gestação, morreu com o bebê, domingo (17), dois dias após chegar à maternidade Balbina Mestrinho com sangramento. A família registrou Boletim de Ocorrência (BO) alegando negligência médica.

De acordo com familiares, mesmo com sangramentos, Ila Arantes Fernandes só foi levada à sala de cirurgia quando o quadro se agravou.

Por volta das 22h, segundo comentou Fábio Viana Barbosa, marido da vítima, a única atenção dada a parturiente foi remédio para dor. ‘Me deram medicamento aqui, mas a dor não passa’, disse a vítima em ligação telefônica ao marido.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (Susam) informou que a paciente entrou na maternidade Balbina Mestrinho na madrugada de sexta-feira (15) queixando-se de dor no baixo ventre e febre de seis dias e que foi imediatamente internada para acompanhamento clínico em enfermaria de alto risco.

A Susam afirmou que em nenhum momento houve falta de leito ou de assistência à gestante, uma vez que o exame apontou gravidez de 34 semanas e frequência de 127 batimentos cardíacos fetais, sem sinais de gravidade presentes, preservando-se o bebê e aguardando a maturidade fetal.

Segundo a secretaria, o tratamento inicial à paciente seguiu protocolo, focando na infecção do trato urinário e no monitoramento por ameaça de parto prematuro. No dia seguinte, conforme a secretaria, o quadro evoluiu com descolamento prematuro de placenta e, durante a cesariana, por volta das 15h, foi constatada a morte do bebê.