Enquanto Bolsonaro foge de coletiva em Davos, Mourão exalta imprensa

0
143

247 – Enquanto em Davos, na Suíça, o presidente Jair Bolsonaro cancelou de última hora uma coletiva à imprensa, deixando jornalistas aguardando e cadeiras vazias com placas com seu nome, de Sergio Moro, Paulo Guedes e Ernesto Araújo, o presidente em exercício, general Hamilton Mourão, tem esbanjado simpatia com os repórteres.

“Quero agradecer a atenção e cumprimentar pela dedicação, entusiasmo e espírito profissional a todos os jornalistas que me recebem na minha chegada e de mim se despedem quando deixo o anexo da Vice-presidência. Boas matérias a todos!”, postou o vice no Twitter na noite desta terça-feira 22, junto a uma foto com um grupo de repórteres.

Ao cancelar a coletiva no Fórum Econômico Mundial, fato inédito para um presidente, Bolsonaro ainda atribuiu sua fuga – claramente motivada pelo receio de ser questionado sobre os escândalos envolvendo sua família no Brasil – ao comportamento da imprensa. O assessor da Presidência, Tiago Pereira Gonçalves, afirmou que o cancelamento se devia à “abordagem antiprofissional da imprensa”.

Enquanto isso, no Brasil, seu filho Carlos Bolsonaro classificou como “bandidos”todos os jornalistas que criticaram, na imprensa, o discurso do pai no dia anterior.