Em meio ao nervosismo local, dólar alcança R$ 4 durante sessão

0
30

PODER 360 – Em meio à conjuntura econômica negativa no cenário doméstico, o dólar norte-americano alcançou a cotação de R$ 4,00 durante a sessão de negócios desta 4ª feira (15.mai.2019).

Por volta das 10h (horário de Brasília), a divisa estrangeira foi cotada, na máxima do dia, a R$ 4,0196. Com a melhora do noticiário econômico, a divisa estrangeira arrefeceu sua trajetória, sendo cotada, no momento, a R$ 3,993, em alta de 0,43%.

Em comparação com os pares emergentes, o real tem queda semelhante ao peso argentino.

MERCADO FINANCEIRO EM QUEDA 

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), opera com perdas no pregão desta 4ª, em meio à diminuição do ímpeto ao risco por parte dos agentes econômicos.

Às 13h00 (horário de Brasília), o balcão de negócios paulista tinha depreciação de 0,62%, aos 91.518 pontos.

Na mínima do dia, no entanto, o índice chegou a alcançar os 90.294 pontos. O estresse é motivado por fatores locais e internacionais.

No Brasil, o BC (Banco Central) divulgou, pela manhã, o IBC-BR, uma espécie de ‘prévia’ do PIB (Produto Interno Bruto) oficial, apontando para recuo, no 1º trimestre deste ano, de 0,68% da economia doméstica, em comparação com o 4º trimestre de 2018.

Os dados vêm em linha com as falas do ministro da Economia, Paulo Guedes, que projetou ontem (14.mai) o avanço do PIB brasileiro em 1,5% neste ano, de acordo com as perspectivas governo.

A declaração foi feita em audiência pública na CMO (Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização), do Congresso Nacional.

CONJUNTURA EXTERIOR 

A informação de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve adiar a imposição de tarifas sobre a importação de automóveis e autopeças em 6 meses arrefeceu o movimento de queda nos mercados globais.

As tarifas seriam implementadas no próximo sábado (18.mai), quando os bens seriam tarifados em 25%, afetando a balança comercial da União Europeia e Japão.

Com isso, no continente europeu, Frankfurt (+0,92%), Londres (+0,80%) e Paris (+0,62%) encerraram o dia em direção única.

Já nos Estados Unidos, Dow Jones (+0,53%), Nasdaq (+1,06%) e S&P500 (0,64%), índices que compõem a Bolsa de Valores de Nova York (NYSE, na sigla em inglês), operam, no momento, com viés positivo.

CONFLITO TARIFÁRIO

Em relação à guerra comercial travada entre EUA e China, o secretário do Tesouro norte-americano, Steve Mnuchin, afirmou hoje haver a possibilidade de nova reunião com autoridades chinesas, apesar de sinalizar a manutenção, no curto prazo, das sobretaxas estadunidenses.

As declarações foram dadas na comissão do Senado norte-americano responsável por discutir as negociações da guerra comercial com o país asiático.

Mais cedo, os mercados mundiais estressaram com a divulgação de uma bateria de resultados de EUA e China, que apontaram para desaceleração de indicadores no mês de abril (vendas de varejo e produção industrial).