Em 2008, Guedes defendeu criação de moeda única na America Latina, o peso-real

0
94

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia defendido em artigo publicado na revista Época em dezembro de 2008 a criação de uma moeda única na América Latina, que se chamaria “peso-real”. O assuntou voltou a ser ventilado nesta 6ª feira (7.jun.2019) em viagem oficial na Argentina.

O presidente Jair Bolsonaro falou sobre o assunto em Buenos Aires: “Paulo Guedes nada mais fez do que dar 1 primeiro passo para 1 sonho de uma moeda única na região do Mercosul, o peso-real”.

Bolsonaro deu o exemplo da moeda única da União Europeia: “Como aconteceu o euro lá atrás, pode acontecer o peso-real aqui”. Segundo Guedes, a ideia interessa mais aos argentinos. “Quem está querendo são eles, os argentinos estão animadíssimos. Nós estamos pensando, conversando e conjecturando. Eles abraçaram, aparentemente, a ideia”, disse.

Em dezembro de 2008, Guedes escreveu que o “peso-real” iniciaria 1 ciclo de reformas e romperia a inércia que travava o crescimento da América Latina.

“A intenção de criar ao longo da próxima década uma forte moeda regional deflagraria 1 ciclo de reformas para assegurar a convergência de políticas tributárias, trabalhistas, previdenciárias, e assim por diante. Essa agenda positiva criada pela busca de uma moeda continental romperia a inércia que trava nossas lideranças políticas e ameaça a dinâmica de crescimento da América Latina”, escreveu.

Guedes conta no artigo que debateu o tema no Fórum da Liberdade, realizado em Porto Alegre (RS). “É o único estádio em que 1 liberal-democrata, participando de 1 debate, se sente como 1 time jogando em casa”.

O economista conta ainda que naquele evento encontrou o empresário Salim Mattar, fundador da Localiza e atual secretário responsável pelas privatizações do governo Bolsonaro, e Ciro Gomes, ex-governador do Ceará.

“Foi também 1 enorme prazer reencontrar Ciro Gomes para debater as oportunidades e os desafios apresentados ao Brasil pela nova ordem econômica global. Os ritmos de aderência dos países à nova ordem são díspares. Mas o sucesso político, econômico e social dos que se adaptam mais rapidamente arrasta os demais países nessa direção”, escreveu.

RODRIGO MAIA CRITICA

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou em seu perfil no Twitter nesta 6ª feira (7.jun.2019) a ideia apresentada por Bolsonaro e Guedes.

Maia compartilhou uma notícia do jornal O Globo sobre o assunto e escreveu: “Será? Vai desvalorizar o real? O dólar valendo R$ 6,00? Inflação voltando? Espero que não”.

A Argentina registrou inflação de 47,6% em 2018, a mais alta nos últimos 27 anos, e o peso (a moeda argentina) tem sofrido forte desvalorização frente ao dólar nos últimos meses. A cotação atual é de US$ 1 para cada 45 pesos.

No Brasil, a inflação em maio ficou em 0,13%, o menor resultado para o mês desde 2006, e o dólar está cotado a R$ 3,90.