Com duas mulheres numa equipe de 22 ministro, Bolsonaro diz que ministério está equilibrado

0
114

247 – No Dia Internacional da Mulher, presidente Jair Bolsonaro discursou num evento no Palácio do Planalto, mas não apontou as políticas públicas para as mulheres ou citou as mazelas enfrentadas pelas brasileiras, como o feminicídio. Apenas falou em “valorização da família” e disse que “o mais sagrado em uma pátria é a unicidade da família”.

O presidente afirmou que “não existe homem que possa fazer política de maneira séria se não tiver alguém ao seu lado com os mesmos princípios”. “Graças a Deus, eu tenho isso em casa”, disse ele.

Ao se referir as mulheres no seu governo, ele disse em tom de piada que “pela primeira vez o número de ministros e ministras está equilibrado num governo”. Na sua equipe ministerial composta por 22 pastas, há apenas duas mulheres: Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) e Tereza Cristina (Agricultura).

“Cada uma das duas mulheres (ministras), equivale por dez homens”, disse Bolsonaro, durante a cerimônia no Palácio. “Temos 22 ministérios, 20 homens e duas mulheres. Somente 1 pequeno detalhe, cada uma dessas mulheres equivale por 10 homens”, disse.

Ao discursar no evento, Bolsonaro citou a Bíblia afirmando que, como cristão, acredita que a mulher surgiu da costela de um homem, e a partir das mulheres vieram todos os outros homens. “Está na Bíblia também que a mulher sábia edifica o lar”, continuou o presidente.

A tônica do discurso de Bolsonaro foi enfatizar o papel da mulher no lar. “Contem com alguém que respeita vocês e que quer que tenham paz a tranquilidade. Vamos continuar lutando para que cada vez mais vocês façam parte de nossas vidas”, discursou ele, como se as mulheres não fizesse parte da sociedade.

A primeira-dama, Michele Bolsonaro, participou da cerimônia e discursou dizendo que as mulheres são “comandantes dos próprios destinos” e que é importante “lutar para que sejam plenas de oportunidades”, o que a jugar pelo número de mulheres no primeiro escalão do governo, é muito necessário.

Nas redes, Bolsonaro disse que “qualquer celebração deve vir acompanhada de propostas”, mas justificou a falta das mesmas dizendo que “infelizmente não depende só de mim para que muitas das pautas já conhecidas avancem”

“De tudo faremos para que estas joias raras ao fim dos próximos 4 anos possam se sentir mais representadas”, escreveu.