Bolsonaro usa vídeo de Lula para explicar contingenciamento; petista rebate post

0
75

PODER 360 – Para rebater críticas sobre o contingenciamento na educação, o presidente Jair Bolsonaro compartilhou nesta 5ª feira (16.mai.2019) no Twitter 1 vídeo em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva explica 1 dos contingenciamentos de orçamento feitos durante seu mandato, em 2010.

Na postagem, Bolsonaro escreveu: “Lula explica para a esquerda como funciona e quando é preciso o contingenciamento de recursos públicos (praticado por todos os governos). Agradeço a explanação”, disse Bolsonaro.

Eis o vídeo compartilhado:

O vídeo é uma reportagem da TV Gazeta, de São Paulo, na qual Lula justifica os cortes afirmando que o Orçamento enviado para a Câmara não seria cumprido se não houvesse um aumento da arrecadação.

“Obviamente que os ministros sabem perfeitamente bem que, quando você faz o orçamento, a proposta do orçamento é aprovada na Câmara e ela está subordinada tanto ao crescimento mais arrecadação, ou ao decréscimo da arrecadação. Nós trabalhamos com a possibilidade de que vai melhorar a arrecadação e, melhorando a arrecadação, a gente vai repor e dar possibilidade aos ministérios de gastar todo o dinheiro que foi disponibilizado”, disse Lula em vídeo de 2010.

LULA REBATE POST DE BOLSONARO

Após a publicação, o perfil do ex-presidente Lula rebateu a publicação de Bolsonaro com 3 posts.

“No fim do governo Lula o Brasil tinha 14 novas universidades. Do governo Bolsonaro vão sobrar só tweets”, disse no 1º.

No 2º, mostrou dados em que informa que “Lula promoveu 1 salto no orçamento da educação”. Os dados mostram que no início de seu 1º mandato, em 2003, foram investidos R$ 18,1 bilhões em educação e em 2010, seu último ano de mandato, o investimento foi de R$ 54,2 bilhões.

Já na 3ª publicação, o petista publicou fotos que demonstram a inauguração da Fundação Universidade Federal do ABC, campus Santo André, em São Paulo, em 29 de agosto de 2008.

Eis as publicações abaixo:

 Durante o governo Lula foram bloqueados R$ 1,5 bilhão, no início da crise econômica de 2008. No governo Bolsonaro, o MEC anunciou um contingenciamento de R$ 5,8 bilhões.

A medida do militar foi alvo de protestos na última 4ª feira (15.mai.2019) em 198 cidades do país, no mesmo dia em que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi ao Congresso explicar o contingenciamento, após ser convocado pelos deputados.

Para debelar as críticas, Bolsonaro também anunciou que deve destinar 2,5 bilhões de multas da Petrobras para o Ministério da Educação e da Ciência e Tecnologia.