Bolsonaro tenta consertar estrago sobre Holocausto, mas se enrola mais

0
142

247 – O diplomata israelita Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil desde janeiro de 2017 e responsável pela recente aproximação entre Jair Bolsonaro e Benjamin Netanyahu, postou em seu Facebookuma carta assinada pelo presidente brasileiro endereçada “ao povo de Israel”, em que Bolsonaro tenta consertar sua declaração de que o Holocausto poderia ser perdoado, mas jamais esquecido.

Na carta, Bolsonaro diz: “Deixei escrito no livro de visitantes do Memorial do Holocausto em Jerusalém: ‘AQUELE QUE ESQUECE SEU PASSADO ESTÁ CONDENADO A NÃO TER FUTURO’. Portanto, qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus”.

“Já o perdão, é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto, onde milhões de inocentes foram mortos num cruel genocídio”, prossegue o presidente. Bolsonaro estaria mantendo seu perdão ao Holocausto, porém de forma “pessoal”, ou tentando retirar sua afirmação anterior?

A frase literal dita por Bolsonaro durante um evento com líderes evangélicos no Rio de Janeiro na última semana foi: “Fui, mais uma vez, no Museu do Holocausto. Podemos perdoar, mas não podemos esquecer. E é minha essa frase. Quem esqueece seu passado está condenado a não ter futuro. Se não queremos repetir a história, que não foi boa, vamos evitar com ações e com atos para que ela realmente não se repita daquela forma”.

.